terça-feira, abril 20, 2010

Juiz?! Que nada, quero ser Oficial de Justiça Federal!



Outro dia recebi um e-mail contento as linhas abaixo escritas, apesar de o tempo todo se referir a um blog "DICAS DO GERSON", não pude localizar o link para o mesmo, uma vez que não aparece em momento algum.Pois bem o texto é auto-explicativo e percebe-se um certo rancor de quem o escreveu, mas a verdade que se tira deste texto é: A INVEJA MATA! Vai aqui uma dica para o autor do texto, aproveita meu irmão, estuda e vira um OJF também! Eu já comprei meus livros!!!

-----------------------------------------------------------------------------

“Faça concurso para oficial de justiça, tenha estabilidade, tenha mais de 60 dias de férias por ano e ganhe, no início da carreira, R$ 10.055,18!
Olá, Concurseiros,
Dessa vez minha dica vai pra vocês. Já que no Brasil a filosofia predominante é levar vantagem em tudo, segue, sem hipocrisia, uma dica quente!
A Lei 12.011/2009 criou 230 varas federais a serem implantadas em todo o país. Isso significa que teremos, em breve, centenas de novas vagas para quem tem curso médio e superior. Mas minha dica especial vai para o cargo de Oficial de Justiça, cujo nome técnico na justiça federal é Analista Judiciário – Executante de Mandados. Você que é bacharel em Direito tem a opção de prestar esse concurso.
A aprovação nesse concurso requer muito estudo e dedicação, mas ... olha só o salário:
Salário inicial da carreira: 10.055,18 = 4.367,68* (vencimento básico*) + 2.183,84 (G.A.J.**) + 1.528,69 (G.A.E.***) + 1.344,97 (Indenização de transporte****) + 630,00 (Auxílio alimentação).
Salário final da carreira: 14.846,18 = 6.957,41 (vencimento básico) + 3.478,71 (G.A.J.) + 2.435,09 (G.A.E) + 1.344,97 (Indenização de transporte****) + 630,00 (Auxílio alimentação).
* Uma informação muito importante: no edital do concurso, provavelmente, você verá apenas o valor de R$ 4.367,68, mas, na verdade, com todas a vantagens do cargo, o salário inicial de um oficial de justiça é, atualmente, de R$ 10.055,18. Em breve, receberão um aumento de 57%. Não se deixe enganar pelo que consta do edital!
** G.A.J. significa Gratificação Atividade Judiciária – todos os servidores do judiciário federal recebem esta verba.
*** G.A.E. significa Gratificação Atividade Externa – somente os oficiais de justiça têm essa vantagem, pois somente eles exercem atividade externa.
**** Somente o oficial de justiça recebe essa vantagem, que objetiva indenizá-lo pelo desgaste que seu automóvel sofre por seu usado como instrumento de trabalho. Justo.
Se você escolher a cidade certa, poderá trabalhar uma, duas ou três vezes por semana, ganhando, inicialmente R$ 10.055,18. No final da carreira, você vai ganhar cerca de R$ 14.846,18. Ainda tem mais: esses valores serão reajustados, em breve, em cerca de 57% (Projeto de Lei 6613/2009 – www.camara.gov.br/sileg/Prop_Detalhe.asp?id=464147). Você só terá essa tranquilidade se souber escolher a cidade certa. Muito cuidado na escolha, pois há varas federais onde os oficiais de justiça trabalham, sem nenhum exagero, “como condenados”. Não se esqueça disso. Pesquise bem antes de decidir para qual cidade você prestará o concurso, pois, se fizer a escolha errada, você estará no inferno, mas se souber escolher uma cidade “tranquila”, estará quase no paraíso.
Estude muito e, na hora de se inscrever para o concurso, escolha a cidade certa.
Entenda, primeiramente, por que o volume de trabalho não é o mesmo em todas as varas federais.
Para cada vara federal, independente do número de processos, são designados 4 oficiais de justiça. A consequência dessa distorção é que, em algumas varas federais, onde há muitos processos, são entregues, semanalmente, a cada oficial de justiça, 30, 40, 50, 60 ou mais mandados judiciais para cumprimento. Isso ocorre, por exemplo, nas varas federais de Montes Claros e Sete Lagoas: lá, são dezenas de mandados entregues semanalmente aos oficiais de justiça. Os oficiais de justiça dessas varas federais trabalham muito mais que um oficial de justiça da capital, Belo Horizonte. Por outro lado, e é aí que você pode levar vantagem, em outras varas federais são entregues, semanalmente, a cada oficial de justiça, 4, 6, 8 mandados para cumprimento. Isso ocorre, por exemplo, na vara federal de São João del-Rei: lá, são entregues semanalmente poucos mandados aos oficiais de justiça. Pelas normas da justiça federal, mesmo tendo recebido, por exemplo, apenas 6 mandados na semana, o oficial de justiça tem 10 dias para cumpri-los! Vantagem, não!?
Quer mais? Então, segura essa: as férias anuais de 30 dias de um oficial de justiça podem virar, com um pouquinho de esperteza (“levar vantagem, certo?”), 40, 50, 60 dias ou mais. Está surpreso? Mas é a mais pura verdade. Sem violar nenhuma norma, saiba como um oficial de justiça pode protagonizar esse verdadeiro milagre.
Antes de iniciarmos a explicação, guarde as seguintes vantagens que o cargo de oficial de justiça oferece:
- Nos 10 dias que antecedem a data de início de suas férias, não se é permitido entregar mandados ao oficial de justiça;
- O oficial de justiça não é obrigado a comparecer diariamente à vara federal para assinar o ponto: somente os oficias têm essa vantagem;
- Mesmo se entregar todos os mandados judiciais, o oficial de justiça da justiça federal não pode ser obrigado a trabalhar internamente na vara. As normas não permitem!
- Nas varas federais onde há poucos mandados, a entrega deles aos oficiais de justiça é feita, geralmente, uma vez por semana. Portanto ele só tem que comparecer ao local de trabalho uma vez por semana;
- Assim como os demais servidores do judiciário federal, o oficial de justiça pode dividir suas férias anuais de 30 dias em três períodos de 10 dias cada um. Somente para o oficial de justiça isso é uma enorme vantagem. Calma! Eu já vou explicar o porquê disso. Eu sei que você já deve estar se imaginando um oficial de justiça e, com certeza, quer saber como levar mais essa vantagem, certo? O Gersinho vai explicar tudinho, passo a passo, como o “milagre da multiplicação dos dias de férias” ocorre, sem que o oficial de justiça viole nenhuma norma. Para facilitar o entendimento, faremos uma simulação.
Imaginemos uma pacata cidade do interior de Minas Gerais, onde, semanalmente, são entregues, em média, 8 mandados para cada oficial de justiça cumprir. Esses mandados são entregues, como explicado acima, uma vez por semana. Na nossa simulação, consideremos que os mandados judiciais são entregues às quartas-feiras aos oficiais de justiça.
O oficial de justiça marca 10 dias de férias para o seguinte período: de 15/03/10 (segunda-feira) a 24/03/10 (quarta-feira).
Ele recebe, no dia 03/03/10 (quarta-feira), pela última vez antes de sair de férias, 8 mandados para cumprir.
O oficial de justiça cumpre todos os mandados e os devolve à vara federal, no mais tardar, no dia 08/03/10. Ele cumpriu os 8 mandados em 4 dias úteis. Um prazo “razoável”, não acham? No dia 09/03/10, ele já estará, de fato, de férias, pois, no dia 10/03/10, serão entregues mandados para os outros oficiais, mas não para ele (as normas da justiça federal não permitem que sejam entregues mandados ao oficial de justiça nos 10 dias que antecedem a data de início de suas férias). Como ele não tem a obrigação de comparecer à vara diariamente para assinar o ponto, já estará livre para curtir suas merecidas férias após a devolução dos mandados!
Façamos uma pausa aqui, para fazer uma pequena contabilidade: repare que, na teoria, o oficial de justiça, na nossa simulação, sairia de férias no dia 15/03/10, mas, de fato, suas férias se iniciam dia 09/03/10. Até aqui, os 10 dias iniciais de férias já se tornaram 16 dias! Mas o milagre não acaba por aqui...
Como expliquei acima, nas varas federais onde são expedidos semanalmente poucos mandados, eles são entregues aos oficiais de justiça apenas uma vez por semana. No nosso exemplo, quarta-feira. Reparem que o oficial de justiça da nossa simulação, que de bobo não tem nada, marcou seu último dia de férias para o dia 24/03/10, uma quarta-feira! O que isso significa? Significa que ele não comparecerá à vara federal justamente no dia em que os mandados são entregues. Dessa forma, levando em conta que, como explicado anteriormente, o oficial de justiça não tem obrigação de comparecer à vara diariamente para assinar o ponto, só tendo obrigação de comparecer no dia da semana em que os mandados são entregues, nosso oficial de justiça somente comparecerá à vara federal na quarta-feira seguinte, dia 31/03/10. Portanto, o oficial que deveria voltar à vara dia 25/03, de fato, só comparecerá dia 31/03, ganhando, com essa singela manobra, mais 6 dias de férias.
Conclusão: os 10 dias iniciais se tornam 16 e, por marcar seu último dia de férias justamente no dia em que os mandados são entregues, nosso herói ganha outros 6 dias de férias. Vamos somar: 10 + 6 + 6 = 22 dias de férias.
Mas lembre-se: o oficial tem direito a três períodos de 10 dias. Portanto devemos multiplicar 22 por 3. Total de dias de férias do oficial de justiça por ano: 66 dias! Bon voyage!
Para não dizerem, depois, que dei uma dica furada, volto a frisar: você só terá essa grande vantagem de ter mais de 60 dias de férias por ano se souber escolher a cidade certa.
Você ainda não está satisfeito, não é? Quer mais vantagens? Eu sabia... Então, segura mais essa: você poderá trabalhar no interior e morar na capital! Terá o melhor de dois mundos: trabalhar no interior é muito mais tranquilo que na capital, mas só numa capital você tem inúmeras opções de lazer e diversão.
Na vara federal de São João del-Rei, por exemplo, nenhum, é isso mesmo, nenhum dos 4 oficiais de justiça que lá trabalham mora em São João del-Rei. Um juiz federal é obrigado, por lei, a morar na cidade onde atua, mas o oficial de justiça não. Há, nessa vara federal, o caso notório de uma das oficialas de justiça que, mesmo morando na capital, Belo Horizonte, cidade que fica a 180 km de São João del-Rei, consegue realizar seu trabalho de oficial de justiça tranquilamente. Como ela realiza essa façanha de morar em Belo Horizonte e trabalhar em São João del-Rei? Nossa destemida oficiala de justiça sai às quartas-feiras de Belo Horizonte por volta das 9hs da manhã. Chega a São João del-Rei por volta das 11hs30min. Almoça e, em seguida, comparece à varal federal para receber seus mandados. Cumpre-os na quarta-feira à tarde e na quinta-feira pela manhã. Almoça e, antes do final da tarde de quinta-feira, já está de volta a Belo Horizonte! “Voilà!”. Isso é possível porque a vara de São João del-Rei se enquadra na “categoria” poucos mandados expedidos semanalmente, conforme nos informaram os próprios oficiais de justiça de lá. Um outro oficial de justiça dessa mesma vara federal mora em Barbacena, cidade que fica a 60 km de São João del-Rei.
Mais uma vantagem. Você está lendo meu blog para isso, não é? Então, segura: Um juiz federal se vê obrigado pelas circunstâncias a comparecer, todos os dias, à vara federal: tem que expedir liminares, despachar com advogados, fazer audiências, etc. Oficial de justiça? Só uma vez por semana. Sem falar que o oficial de justiça não tem chefe chato no pé o tempo todo! Big vantagem!
Quase me esqueci dessa outra grande vantagem: além das férias, os servidores do judiciário federal têm, todo ano, o recesso que vai de 20/12 a 06/01. Mais 18 dias de descanso.
Você vai poder passar o Natal e a virada de ano em casa, na praia, ou no campo, curtindo a família e os amigos, sem a preocupação de ter que voltar a trabalhar no dia 02/01. Isso é uma grande vantagem, certo? Você também merece essa boa vida! Estude bastante que você chega lá.
Para os oficiais de justiça, o melhor de tudo é ter o horário livre e não precisar comparecer todos os dias ao trabalho para assinar o ponto. Outros profissionais que também realizam trabalho externo não têm tantas vantagens quanto os oficiais. Um carteiro, por exemplo, é obrigado a bater cartão diariamente (no início e no final do expediente). É obrigado a prestar contas, diariamente, no final do expediente, de tudo aquilo que entregou ao longo da sua jornada diária de trabalho: centenas de cartas, ARs, sedex, malotes, encomendas, etc. Por outro lado, o oficial de justiça tem a obrigação de prestar contas dos mandados apenas 10 dias depois de recebidos. Meu amigo, ELES são os caras! São profissionais “di catiguria”. Não fique com inveja. Aproveite que foram criadas 230 novas varas federais e venha para o clube!
Por fim, vou dar a dica final para você não entrar numa fria!
Na justiça do trabalho também há o cargo de oficial de justiça. O salário é o mesmo. Só que um oficial de justiça da justiça do trabalho trabalha, em média, o dobro que um oficial de justiça da justiça federal. O número de penhoras, por exemplo, é 10 vezes maior! (Quer coisa mais chata do que entrar na empresa ou casa dos outros para escolher quais bens penhorar?) Na justiça do trabalho, onde são expedidos diariamente muito mais mandados do que na justiça federal, o oficial de justiça só tem 5 dias para cumprir os mandados. Isso ocorre porque a justiça do trabalho prima pela “celeridade absoluta”. Lá, a pressão sobre os oficiais de justiça é muito grande. Cuidado!
Entre no site da justiça federal, www.trf1.jus.br, e veja o edital do último concurso. Lá você terá informações adicionais. Boa sorte!”
AUTOR DESCONHECIDO





106 comentários:

  1. O autor do texto deve ser algum servidor frustrado (que não logrou êxito no concurso de OJF). Citou inúmeras vantagens (de maneira equivocada), e nenhuma desvantagem (huahuahua, só pode ser um fanfarrão)... tô fora, oficial de justiça é para louco (penhora, busca e apreensão, prisão, desocupação forçada, bala bala bala ...)

    ResponderExcluir
  2. ENGANO SEU, AMIGO!
    TUDO O QUE FOI DITO PELO AUTOR É A PURA VERDADE. EU SOU OFICIAL DE JUSTIÇA ESTADUAL E GARANTO. ESTOU ME FORMANDO EM DIREITO E VOU FAZER O CONCURSO PARA OFICIAL FEDERAL SIM. NO ESTADO O SALÁRIO É PIOR, APESAR DE TER ALGUMAS VANTAGENS TIPO LICENÇA PRÊMIO, ENTRE OUTRAS COISAS. MAS, O SALÁRIO DO FEDERAL É BEM MELHOR.

    QUANTO AOS MANDADOS DE PENHORA, BUSCA E APREENSÃO, ETC., NÃO TEM NADA DEMAIS. EM QUALQUER PROFISSÃO VOCE PODE SE DAR BEM SE TIVER JEITO PARA TRATAR AS PESSOAS. EU JÁ FIZ DESPEJOS, BUSCAS, PENHORAS, CONDUÇÕES COERCITIVAS E MUITOS OUTROS TIPOS DE MANDADOS E NUNCA TIVE PROBLEMAS. COM TRANQUILIDADE E SEM ARROGANCIA, O OFICIAL DE JUSTIÇA DESEMPENHA SEU TRABALHO SEM SE ESTRESSAR. ABRAÇOS.

    ResponderExcluir
  3. Para aqueles que se dizem concurceiros,sem dúvida, o cargo de Analista Execução de Mandados é uma descoberta, pois, as vantagens são inumeras e poucos sabem. Reparem bem meus amigos naquelas estatisticas de candidatos inscritos no concurso - perceberam que são poucos os que prestam a prova; todos sempre vão direto nos cargos de técnico e analista administrativo. Então caso você estude Direito e pretende ser servidor, não perca tempo, compre seus livros e inicie seus estudos; eu já estou estudando para o cargo à alguns meses para o cargo.

    ResponderExcluir
  4. Adorei o texto! Já escolhi minha profissão ;D haha

    ResponderExcluir
  5. Só uma dúvida, como eu sei quais são os locais bons? não quero estudar pra caramba para depois trabalhar que nem um condenado, Vara Federal do RJ é bom?

    ResponderExcluir
  6. Olá pessoal ! Sou oficial de Justiça Federal há 09 meses, fui tecnico tb na federal/RJ por 06 anos. De fato, o nosso amigo anônimo parece conhecer bem a função, mas faltou o contraponto, afinal existe tb o lado ruim. Para ser oficial TEM QUE TER PERFIL e nem todos tem. Agente anda no sol e na chuva, sem banheiro, as pessoas tentam nos ludibriar, mentem, se esquivam e preparam "armadilhas" para te corromper ou fz parecer q vc é desonesto. Qd uma testemunha falta a audiencia, o juiz vai logo na certidao do oficial, assim como os advogados tentam sempre botar a culpa no Oficial em tudo. O pessoal da secretaria (alguns) tem recalque conosco e envenenam o juiz (é preciso ter cuidado)Sem falar no risco do transito o dia todo e da violencia urbana. Outro dia fui em uma usina no meio de um canavial, longe de tudo, cobrar uma dívida de 800 mil. fui intimidado .... Outra vez dobrei uma esquina num lugar tido como tranquilo (QQ LUGAR TRANQUILO PODE VIRAR UM INFERNO) e dei de cara com um grupo armado no meio da rua. Sorte q ando com os mandados escondidos,vidro aberto e ouvindo funk, todo largado e digo, na pior das hipóteses, q sou do INSS. Conheço 02 oficialas que estão prestes a pedir exoneração, se não conseguirem requalificação, pois para mulher a coisa é mais complicada. Eu estou adorando pq odeio ficar restrito a secretaria o dia todo. Prefiro a rua, mas reafirmo: Tem que ter perfil para o cargo, só o dinheiro e as "vantagens" não são suficientes. Tb tem que ser uma pessoa "desenrolada" pois surgem mil situações q vc tem q resolver sozinho na rua, pois ali vc é o judiciário e não tem ninguem para te orientar como dentro da secretaria. SE VIRA ! Para quem foi policial, militar, tem disposição e é desenrolado, vale a pena...... Espero ter ajudado.... é sempre bom lembrar "NÃO EXISTE ALMOÇO GRÁTIS"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal...finalmente uma resposta realista...soube de casos que os oficiais são recebidos com arma...tem que ter perfil mesmo...Sei que correm risco de morte em alguns casos...Parabéns pela sinceridade !!!

      Excluir
    2. É isso ai, sou OJA, estadual. É por aí, mas normalmente te respeitam tal qual você os respeita. Isso vale para todos, réus em processo criminal, executados... enfim. Sempre respeito as pessoas, levo na máxima impessoalidade possível e nunca tive problemas, salvo uns poucos mal educados, que ignoro. Devemos ser firmes, mas sem nunca perder o respeito. Por mais que você pense, imagine, ache que o sujeito não mereça respeito, demonstre o respeito mesmo assim. Fica essa dica para quem quer ocupar essa excelente, mas árdua missão.

      Excluir
  7. Como o amigo do comentário acima afirmou, tem que ter perfil. Não é qualquer um que encara uma atividade dessas.

    ResponderExcluir
  8. vale o risco ,lembrem-se ja corremos o risco em qualquer profissão

    ResponderExcluir
  9. Se for como citado acima,pelo Oficial de Justi
    ça tenho chance!, já q/ fui Carteiro 10 anos, Segurança, Vigia, Trabalhei como Segurança c/
    todas as patentes da PM, de Coronel a soldado durante 6 anos, Tenho portando o perfil de cor
    rer riscos o q/ é inerente a profissão

    ResponderExcluir
  10. Puxa, pena que só fui pensar nesse cargo agora, estou aprovada em primeiro lugar pra AJAJ e se tivesse feito pra execução de mandados tbm ficaria nessa colocação... acho que vacilei...

    ResponderExcluir
  11. alguem sabe quando sera aberta as incriçoes para oficial de justiça federal ? ja tem edital ?

    ResponderExcluir
  12. Quanta inveja!! Experimente ser oficial na SJRJ: De 40 a 80 mandados por semana, fila para imprimir e montar seus próprios mandados e para a certificação eletrônica, plantões de sobreaviso durante a madrugada e finais de semana, áreas geográficas de atuação gigantescas, sem reposição de aposentadorias e por aí vai...Quer um conselho? Vá se informar melhor e seja menos FANFARRÃO!!

    ResponderExcluir
  13. sou oficial de justiça tbm , eu concordo com o colega acima , tem que ter perfil para administrar situações de risco e muitas vezes de tentação , como facilitações em relação á dinheiro , a pessoa que tiver cabeça fraca vai cair facil nisso , cuidado e muito cuidado

    ResponderExcluir
  14. Uma dúvida amigos...

    Pra ser um oficial de Justiça Estadual no Estado do Rio de Janeiro, precisa ser formado em Direito?

    E pra ser um oficial de Justiça Federal no Estado do Rio de Janeiro?

    Me esclareçam por favor. Adorei o blog e todo o conteúdo, todos estão de parabéns! Grato

    ResponderExcluir
  15. Para ser oficial federal precisa ser formado em Direito. Estadual do RJ eu não tenho certeza, mas acho que não. Em Minas Gerais e SP, tenho cereteza que não precisa nível superior.

    ResponderExcluir
  16. tenha dó, não temos horário (voce tem de encontrar as pessoas para receberem a ordem judicial então estamos sempre trabalhando, sabados domingos e feriados)as pessoas fogem, voce não as conhece, vai dez quinze vezes no local, é xingado, tem de ouvir e saber conduzir situações (PENHORA, ARRESTO, SEQUESTRO, PRISÕES,DESAPROPRIAÇÕES, IMISSÃO EM POSSE, REINTEGRAÇÃO NA POSSE)sozinho, quando é ameaçado é torcer para que não ocorra nada pior pois policial chega depois de uma hora, indenização de transporte não cobre os custos, hora extra não é paga, mas torço para que o autor tenha exito, depois de algum tempo quero ver se ele vai continuar com a mesma opinião.

    ResponderExcluir
  17. Sou Oficial de Justiça Federal e não trocaria a minha profissão por nada neste mundo. Você lida com pessoas dos mais diferentes tipos e nas mais variadas situações (algumas traumáticas), mas pelo menos você não tem que conviver com a arrogância de algumas juízes e com a inveja e falsidade dos "colegas" de repartição. Para mim, essas são as principais vantagens.

    ResponderExcluir
  18. Olá colegas, também sou OFicial Federal e, no momento, só trocaria para o cargo de Promotor de Justiça....até tinha vontade de ser Juiz, mas, de fato, o autor conhece bem o nosso cargo e o de Juiz também....

    é isso aí

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O de juiz também? O cara defende o trabalho de juiz sem conhecer:o magistrado vive dando aula, tem que morar na comarca mas não mora. Tem que ir ao cartório todo dia, mas só vai de terça a quinta, é o famoso tqq. Manda muito, mas nada conhece da realidade da rua. Tem 60 dias de férias de verdade e ainda recebe mais um terço de adicional de férias.

      Excluir
    2. Oficial de justiça nao tem 1/3 de ? Se a coregedoria apurar faltas injustificáveis, de fato acarretara processo. Tanto juiz quanto o ojaf têm direito ao magisterio. O que me parece aqui e que voce e quem nao conhece nem a loman nem o cargo de ojaf.

      Excluir
  19. Eu amo ser OJAF. Legal ter gente que ache legal essa profissão conhecida até na bíblia.

    ResponderExcluir
  20. Como OJAF posso dizer que é um excelente cargo. O nosso amigo conhece bem as atribuições do cargo, mas é necessário também esclarecer que enfrentamos, às vezes, situações constrangedoras e perigosas, tais como: desocupações, inclusive de sem-terra; busca e apreensão; penhoras; sequestro de bens, etc. Os louros são muitos, mas há também várias dificuldades.

    ResponderExcluir
  21. SOU OFICIAL DE JUSTIÇA AVALIADOR FEDERAL NO RIO DE JANEIRO. AQUI NÃO RECEBEMOS 8 MANDADOS POR SEMANA PARA CUMPRIR. CADA OFICIAL RECEBE POR SEMANA DEPENDENDO DA ÁREA QUE ATUE DE 39 A 60 MANDADOS. FORA OS ORGÃOS PÚBLICOS QUE CHEGA HÁ MAIS DE 100 MANDADOS POR ORGÃO. PAREM DE FALAR BESTEIRA. ESTOU AGUARDANDO VOCÊS. ASS. O CAPETA -CHEFE DOS OFICIAIS FEDERAIS

    ResponderExcluir
  22. Falar que OJAF não trabalha é coisa de gente invejosa e sem capacidade para lograr aprovação no concurso público. O problema é que nesse país basta alguém ganhar um salário razoável e digno para se tornar um pária da sociedade. A profissão envolve riscos que aqui não foram colocados. Gostaria de saber se o anônimo conhece o risco de entrar num presídio para cumprir uma ordem judicial, se já foi a uma favela ou subiu um morro a serviço da Justiça, se já cumpriu um mandado de reintegração de posse em terras da União ou em imóveis financiados pela Caixa Econômica Federal em lugares nem um pouco nobres. Diz o dito popular: "A inveja é uma m....! Vai estudar vagabundo.

    ResponderExcluir
  23. Vários Oficiais já foram agredidos ou mortos quando em serviço. Juízes e representantes do Ministério Público têm férais anuais de 60 dias mais o recesso forense. Falar que o trabalho dos outros é moleza é coisa de quem na verdade não tem o que fazer porque não trabalha e nem quer trabalhar. Além disso, o salário não é tudo isso que foi colocado (inicial de 10.000,00. Antes fosse. Quer moleza, se candidate a um cargo parlamentar ou vá ser sindicalista, talvez vc consiga até se tornar presidente da república. É muito chato ficar falando do trabalho dos outros.

    ResponderExcluir
  24. Sou Analista Judiciário Federal já algum tempo e estou estudando para concurso de Analista Judiciário- Executante de Mandados. Prestei para Analista Interno porque desconhecia as vantagens do cargo de AJEM, mas já estou lutando para remediar este erro. Aos Oficial que reclamam do trabalho, estejam certos de que QUALQUER servidor interno que trabalhe na Secretaria ou no Gabinete trocaria de lugar com vcs sem pestanejar. Estou certo de que "quando" (pensamento positivo!!!) me tornar oficial de justiça, em virtude dos anos que já enfrentei no serviço interno, saberei valorizar o cargo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está enganado. Muito servidores não tem perfil para ser OJAF. Na verdade, eles conhecem os bônus mas não os ônus!

      Excluir
    2. Ledo engano daqueles que não trabalham nas ruas, sob o sol, chuva, vento, poeira, cachorro,sem qualquer conforto, etc... Quero saber de onde tiraram esses oito mandados por semana??? Cada mandado demanda em média de 2 a 3 diligências, com sorte. Além do trabalho com relatórios, certidões, lavraturas de autos, que nos exigem várias horas de trabalho em casa ou no forum. Quero ver o colega que trabalha interno gostar de chegar antes das 5:00 h na casa de um executado e ser recebido por um cara mau humorado e seminu... ou quando tem de diligenciar à noite ou fazer arrecadações em casas de shows na madrugada??? Quero ver quem gosta de estar à disposição do Juízo a qualquer hora do dia e da noite, aos finais de semana e feriados??? Nós os OJAF conhecemos também a rotina de quem trabalha internamente. E posso afirmar, sem a menor sombra de dúvidas que TRABALHO MUITO MAIS QUE QUALQUER UM DE VOCÊS!!! E GANHO MUITO POUCO PARA O QUE FAÇO.E por fim, ao contrário dos "internos" ASSINO TODOS OS MEUS ATOS E SOU RESPONSABILIZADA POR ELES!!! PENSE BEM... Já cansei de ver vocês fazerem M em cima de M e nada acontece... Do lado de cá "o buraco é mais embaixo!!!"

      Excluir
  25. Sou OJAF em uma das cidades mais cotadas para o carnaval e, justamente neste período, estou de plantão semanal (isso mesmo, nosso p[antão dura de 9h de uma sexta-feira às 9h da seguinte). Portanto, EM PLENO CARNAVAL, posso receber uma ligação, a qualquer momento, do Diretor da Secretaria da Vara de Plantão, para, por exemplo, promover a soltura de algum detido, liberar alguma carga perecível no porto/aeroporto etc. Portanto, pensem bem antes de se tornarem heróis como nós...Não é para qualquer um!! Abraços!

    ResponderExcluir
  26. Gostaria de saber a diferença entre ser Oficial de Justiça e oficial de Justiça avaliador federal. Esse ultimo seria o ANALISTA JUDICIARIO-EX DE MAND DO TRT?...GRATA

    ResponderExcluir
  27. Ser AJEM não é tão fácil como foi exposto. Vários servidores já foram assassinados no cumprimento dos deveres funcionais. Alguns mandados são cumpridos com alto grau de periculosidade. Principalmente aqui no Nordeste e no Norte onde prevalece a lei do mais forte em alguns municípios

    ResponderExcluir
  28. Existem problemas sim, mas o autor sabe o q fala. Sou Oficial Federal tb. O duro é q trabalho em Maringá, onde o q mais tem é serviço, daí, muitos das vantagens ditas não são possíveis.

    ResponderExcluir
  29. Sou Oficial de Justiça estadual no Ceará... Posso dizer que quem escreveu o texto soube expor bem as vantagens os OJ Federais... Só que ele esqueceu das desvantagens!! Minha função é análoga, e posso afirmar que o lado ruim equilibra bem o lado bom. Vejamos: Mandados em zona rural, viagens de 30, 40, até 50 km pra cumprir mandados de risco considerável, e pior, sem garantia de sucesso... Sim!! Vc faz 3, 4, 5 ou até mais diligências pra finalizar o cumprimento de UM mandado. E todo o custo é seu!! A indenização de transporte não cobre os gastos... A polícia não está disponível para todas as diligências. Vc faz 99% delas SOZINHO. E nos casos em que precisa do apoio imediato, ele chega até 1 hora depois... Os servidores de Secretaria invejam nossa "liberdade de horários", mas NENHUM se aventura a passar por certas situações que temos que passar!! Estou estudando pra OJ federal pois, apesar de estarmos hj, em termos de remuneração, em vias de se equiparar aos AJEM federais, a política envolvida não nos dá garantias... A estrutura por trás da Justiça Federal é mais sólida, com certeza. O status que a nomenclatura "federal" dá a qualquer cargo é indiscutível. Enfim, como qualquer profissão, temos o lado bom e o ruim. E, como o amigo acima falou, o principal é TEM QUE TER PERFIL para o cargo. Mesmo o cargo de AJEM Federal não combina com playboy concurseiro, com toda certeza, e é um cargo dificílimo para mulheres, pois, diferentemente de uma delegada, que tem apoio constante, oficial trabalha 99% do tempo SOZINHO. Pense bem! As vantagens podem não compensar se você não é bom em se relacionar com TODO tipo de pessoa, e com o detalhe de ser sempre DENTRO DA CASA DELA... Nem tudo são flores!!

    ResponderExcluir
  30. Sou OJAF e amo minha profissão. Não a trocaria nem por Juiz ou Promotor. Estar na rua, com horário flexível, sem chefe enchendo o saco etc, não tem preço!!! Quem tem PERFIL para o cargo, deve estudar bastante para colher boooooons frutos depois.

    ResponderExcluir
  31. Olá. sou OJAF há 12 anos, aqui no RS, e posso assegurar que não existe cargo melhor que o meu. Pode acredtar.

    ResponderExcluir
  32. Também sou OJ no TJPE. Aqui o salário é fraquinho. 5000 líquido, mas as facilidades são as mesmas relatadas pelo autor do texto. Mas, como já foi dito pelos comentaristas, esqueceu-se de elencar as dificuldades, que são muitas.
    E em relação ao comentário do colega anônimo OJAF do RS que disse que o emprego dele é o melhor do mundo eu posso até imaginar que é um excelente emprego, mas afianço que não é melhor que ser Juiz dos Juizados Epeciais da Comarca do Recife. Aqui, esses Juizes não fazem nem mesmo as audiências, que ficam a cargo de Conciliadores. E as Sentenças são elaboradas por Juízes leigos.
    Tais Magistrados só tem mesmo a função de comparecer ao Juizado e nos eventos sociais do TJ. E ganhando muito mais que os 22 mil básico que o TJ preve, já que ano após ano eles se autoconcedem uns benefícios absurdos retroativos do tipo "parcela autônoma de equivalência", que ninguém sabe o que é, mas geram retroativos de uns 200 ou 300 mil por ano. Servidor do Judiciário, só o Federal ou o comissionado Estadual. O resto é resto, com algumas raríssimas exceções. Ser servidor de TJ é perrengue na certa. Eu mesmo, cá entre nós, considero o meu emprego um "bico". Mas não fui eu que quis assim. Foi o TJ que não me deu escolha, afinal, tenho que sustentar minha família.

    ResponderExcluir
  33. Sou OJAF há 4 meses e estou adorando o cargo. Realmente, o autor do texto não expôs o lado ruim, apenas o bom (e mesmo assim não é 100% verídico). Ratifico as palavras dos colegas: é um dos melhores empregos públicos no Brasil, em razão da liberdade de horário e ausência de chefia. Mas TEM QUE TER PERFIL. Os riscos acontecem e é preciso saber lidar com eles. Abraços!

    ResponderExcluir
  34. Olá pessoal gostaria de saber como é ser um ojmg, sou mulher e tenho um pouco de medo do que possa acontecer , por favor vocês podem me ajudar?
    Desde já agradeço....

    ResponderExcluir
  35. Alguém sabe dizer para qual TRF está previsto sair edital. Grato.

    ResponderExcluir
  36. Olá rapaziada sou OJAF Federal ha 07 anos, já tendo sido OJ na Justiça Estadual, ambos no Pará (capital e interior). O salário é bom, contudo, - sempre tem um MAS - quem desejar ser Oficial de Justiça, tem que possuir o perfil, boa conversa, coragem (não pode ser muito bravo - morre cedo; nem muito medroso, vai correr de qualquer careta que lhe façam, e olhe que são muitas) e disponibilidade para trabalhar muito e ser pouco reconhecido, vez que quando vc faz o seu trabalho diligenciando em estradas intrafegáveis, enfrentando, sol chuvas e ''bandidagem'', foi tao somente o seu mister normal (principalmente para a maioria dos servidores internos) agora demore um pouco para cumprir o seu mandado, devido ás dificuldades normais da atividade, para vc ver a quantidade de reclamações, partes, advogados, juízes, servidores, todos contra vc. Todavia, atualmente, adoro ser OJAF porque nunca há tédio ou monotonia, posto que minha jurisdição cobre 10 municípios e sempre estou viajando á trabalho e ainda que retorne mais de uma vez á determinado município sempre vejo caras novas. PS: (fui designado como assessor de uma magistrada por 01 ano, não aguentei e pedi para retornar para as ruas em 15 (quinze) dias. Já o salário na Justiça Federal já foi melhor, resultado dos governos petistas dos últimos 06 anos.

    ResponderExcluir
  37. Boa tarde, voces sabe onde encontra as materias de estudo para OFICIAL DE JUSTIÇA FEDERAL? obrigado

    ResponderExcluir
  38. Sou Oficial de Justiça Estadual em MG e realmente gosto da profissão. Mas acreditar que ela é o paraíso proposto pelo autor do artigo é realmente uma tolice. A quantidade de mandados é enorme, e lidamos pessoalmente com os conflitos das partes em situações de perigo extremo! É fácil despejar alguém, prender, retirar um cônjuge violento do lar, buscar e apreender veículos de maus pagadores, intimar estupradores, loucos e fascínoras, andar sozinho nas favelas das grandes cidades ou nas estradas viscinais desertas do interior? Esse artigo deve ter sido escrito por alguma pessoa que entrou sem concurso para exercer a função e depois tomou um pé na bunda! Sei que tanto na Justiça Federal como na estadual tem pessoas em desvio de função exercendo o cargo, que depois são enxotadas logo quando se faz concursos. Aí como não têm competência para conquistar o cargo, ficam invejando a conquista dos outros!

    ResponderExcluir
  39. O AJEM quem critica a profissão é porque nunca trabalhou no serviço interno, pois como mencionado num comentario acima, com o trabalho externo "você não tem que conviver com a arrogância de algumas juízes e com a inveja e falsidade dos colegas de repartição". Sem contar o excesso de trabalho ...

    ResponderExcluir
  40. Na teoria é tudo fácil !!!
    Pegue uma Vara pacata, "pouco trabalho" dois oficiais, um deles fica doente, pede exoneração, transferência, acompanhar cônjuge, falece ... já é o suficiente prá você ficar fazendo plantão ... isso mesmo, PLANTÃO ... dia e noite, 7 dias por semana, 30, 31 das por mês ... SOZINHO ... sem poder nem visitar a sogra !!! ... além de cumprir todos os mandados ... até aparecer um outro colega !!!!

    Se for prá cidade grande, o volume de trabalho cresce a cada dia ... e o quadro de Oficiais vem diminuindo !!!!

    ResponderExcluir
  41. Todo servidor da Vara quer ser OJAF, que mentira mano, é só perguntar pros requisitados que já foram e agora estão no interno.
    Ademais o trabalho é puxado, as coisas não correm as mil maravilhas, quando o juiz muda a pauta e vc tem que refazer o trabalho, e isso acontece sempre.
    Cumprir mandado de madrugada na JT averiguação de horas in itinere ir no buzão com o pessoal da Usina , fazendas, é meu irmão fala do que não conhece, nunca vai ser oficial !

    ResponderExcluir
  42. Pessoal, realmente há um certo exagero quanto às facilidades do cargo de AJEM. Mas uma coisa é certa: ser oficial é muito melhor do que ser um serventuário interno.

    ResponderExcluir
  43. É uma vergonha para este país "cidadãos" vagabundos como o autor deste artigo e muitas das pessoas que comentaram. Admirar um cargo pela ausência de trabalho, buscar vantagens para não trabalhar ou trabalhar menos... isso é um absurdo. Depois os funcionários públicos reclamam quando são chamados de vagabundos, mas é a mais pura verdade. Além das diversas vantagens que já possuem por estarem no funcionarismo público, ainda almejam mais e mais vantagens que lhes promovam ociosidade e omissão de suas atribuições.

    Pessoas como vocês, vagabundos, não durariam se quer DIAS na iniciativa privada. Deveriam sentir-se envergonhados, pois o trabalho dignifica o homem, e vocês passam longe de serem dignos de algo. São a escória da sociedade.

    Sou servidor público federal, não me contento com a minha carga horária que é extremamente pequena e, se dependesse de mim, trabalharia muito mais para auxiliar o maior número possível de pessoas de maneira mais ágil, mas vitimado pelo sistema vagabundo do funcionarismo público, sou obrigado a me conter apenas às horas de trabalho disponíveis, pois o cargo que ocupo sempre foi um sonho, desde a infância.

    Mas, dentro das limitações que me são impostas, procuro fazer o máximo possível pelo bem e a ordem da sociedade e executar o meu trabalho com a maior agilidade, respeito e proatividade, enfrentando todo e qualquer desafio que me seja imposto sem pestanejar e reclamar, porque sou feliz.

    Só lamento por pessoas vagabundas como o Sr. Autor e alguns dos anônimos que comentaram.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A iniciativa privada tem gerentes de banco(mulheres) que só estão no cargo pq transam com o Diretor. Tem secretárias que saem com os diretores para se manter no cargo. Isso só para começo de conversa e qualquer pessoa conhece uma porção de pessoas nessas situações.
      Se você quer trabalhar mais do que sua carga horária, abra um negócio próprio e dê empregos e aí trabalhe por 14 ou 15 horas dia enquanto seus filhos se envolvem com drogas e sua esposa dá para outro pq vc está tão cansado que não come ela mais.
      Deixa de ser bobo! Na Suécia, por exemplo, a jornada de trabalho é de 6 horas e meia e eles são um páis rico e com excelente distribuição de renda e qualidade de vida. Volume de trabalho não quer dizer nada!

      Excluir
  44. Sou AJEM federal no RJ há apenas 10 meses e achei lamentável este comentário que me antecedeu..Chamar servidores públicos concursados de vagabundos é um comentário que não mereceria quaisquer considerações, mas vou apenas contraditar algumas das bobagens que o sr. falou:
    1- não confunda liberdade de cumprimento de carga horária com ausência de trabalho: no oficialato é FUNDAMENTAL tal prerrogativa, uma vez que o trabalho é eminentemente externo. Está ligado à vida cotidiana das pessoas, cidadãos que, em muitas situações, apenas são encontrados em fins de semana ou horários "alternativos". Portanto, o oficial necessita da liberdade de fazer o seu horário a fim de dar a máxima efetividade ao cumprimento das ordens judiciais;
    2- "pessoas como nós não durariam dias na iniciativa privada" - Muitos oficiais federais, e em geral, muitos servidores públicos, são egressos da iniciativa privada. Eu trabalhei na iniciativa privada e, por uma questão de opção de vida (qualidade de vida x ganho financeiro), decidi ingressar no serviço público para ter mais qualidade de vida. Em nada tem a ver com competência, ociosidade, etc. Qualquer pessoa com o mínimo de inteligência concorda com isso. É simplesmente uma questão de escolha.

    Sendo franco com o Sr., seus comentários possuem uma carga de ódio, raiva, mas, no fundo, me soam como inveja. É um sentimento mesquinho, que torna o homem pequeno e obstaculariza sua evolução enquanto espírito.
    Se o Sr. está satisfeito com a vida que leva, colocando o trabalho no topo de suas pretensões, seja feliz. Mas não critique profissionais que têm um trabalho "diferente" do seu, assim como pretensões diferentes das suas.
    Apenas para seu conhecimento, para ser oficial de justiça TEM Q TER PERFIL. Isso já foi postado aqui, mas faço questão de enfatizar. Existem muitas situações complicadas pelas quais passamos, mas isso é outra história.. Se vc decidir prestar o concurso e conseguir passar para o oficialato federal, conversaremos..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colega, não recebo para trabalhar no fim de semana, pois a indenização de transporte é paga apenas por 20 dias úteis, no máximo, referindo-se então aos dias de semana que podem chegar a 22 e mesmo assim você só recebe 20 dias.
      Então, se você trabalha aos fins de semana o faz porque quer(conveniência sua) e não por obrigação.
      Falta as pessoas terem mais coragem no serviço público.
      Se o Juiz determinar que o mandado seja cumprido no final de semana, ele deve ser cumprido pelo Oficial do Plantão Judiciário.

      Excluir
    2. Deixa de ser hipócrita rapaz!!! Nem burro que é burro gosta de trabalhar!!! Seu Zé Ruela, fica aí trabalhando além do necessário, enquanto isso a galera anda faturando sua mulher!!! Mané!!!

      Excluir
    3. Deixa de ser hipócrita rapaz!!! Nem burro que é burro gosta de trabalhar!!! Seu Zé Ruela, fica aí trabalhando além do necessário, enquanto isso a galera anda faturando sua mulher!!! Mané!!!

      Excluir
  45. Sou Oficial de Justiça Avalador Federal do TJDF. O Serviço Psicossocial deste TJ já encaminhou diversos expedientes para a corte alertando que nossa função é, de longe, a que mais procura atendimento.
    Em nosso TJ temos dezenas de Oficiais com depressão crônica (atestado), uma colega que foi assassinada no cumprimento do dever, colegas surrados, maxilares quebrados, inúmeras vítimas de sequestro relâmpado, ASSÉDIO, pressão de centenas de Juízes e Desembargadores para que aceitemos sem reclamar a carga, a complexidade e a superexposição desumana.

    Sou lotado em um setor imenso (metade da cidade), que deve ter mais de cento e cinquenta mil habitantes, colegas em licença-médica, restriçao para recebimento de mandados, 65 mandados por semana, um plantãozinho por semana e um plantão por mes que chega a durar 10 ou 11 horas direto.
    Cumpro em media de 4 a 5 mil mandados/ano e se eu errar, mesmo pelo estresse, pela sobrecarga, pela própria condição humana, nunca, nunca a corte levará isso em conta como atenuante. PROCESSO DISCIPLINAR NELE.

    Cada Juiz, cada funcionário, cada advogado, cada jurisdicionado, em seu egocentrismo, pensa ou lhe interessante pensar que o OFICIAL possui apenas O SEU MANDADO para cumprir, apenas um único. Este para cumprir em LONGOS 20 DIAS, tempo em que não há noite, domingos, feriados e que o OFICIAL não precisa dormir, descansar, comer, cuidar das obrigações da casa, da família, da saúde ou do lazer.

    A máquinas quebram, o sistema fica fora do ar, o carro não funciona, MAS O OFICIAL não deve, em hipótese alguma, dar-se a tal luxo.

    Já michei nas calças dentro carro porque trabalhei o dia todo e quando bateu a necessidade não achei banheiro.

    Trabalho na chuva, no sol, na poeira da seca, sem segurança. Visito áreas que nem em pesadelos imaginaria estar ali sozinho. Entro em lugares que, não fosse pela função, não entraria. Estou na rua em horários que, se tivesse juízo, deveria estar em casa.

    Nada de ar-condicionado, banheiro, segurança da portaria do fórum, lanchinho, etc.

    Meu plantão termina às 20h. Ah! Então vou para casa tomar uma ducha, jantar, ver o Jornal Nacional e, claro, dormir. NÃO! Vou pegar uma tora de mandados e ir para alguma favela ou colonia agrícola, no meio do nada, sob a densa escuridão, me meter em briga de marido e mulher.
    Tirar um machão da casa dele armado com um robusto pedaço de papel. FÁCIL!!!

    Tive que montar uma estrutura em minha casa (um segundo TJ), com fax, impressora, computador, etc.

    EXERÇO TRIPLA JORNADA DE TRABALHO: EM CASA, NA RUA E NO TRIBUNAL.

    Quando diligencio, sou oficial, motorista, segurança e não ganho nada a mais, nem mesmo quando trabalho mais de oito horas diárias.

    TENHO QUE TRABALHAR NOS SÁBADOS, DOMINGOS, FERIADOS, A NOITE OU MUITO CEDO quando meus colegas do judiciário ainda estão no aconchego ou no happy Hour.

    INDENIZAÇÃO DE TRANSPORTE NÃO É "VANTAGEM" SEU ESTÚPIDO por isso se chama indenização.

    Não é para cobrir desgaste do carro, imbecil, é para cobrir despesas de transporte, como o taxi, onibus, avião, barco, carroça, trolebus o que for. Se o oficial entender em adquirir veículo próprio é para aquisição deste, combustível, lubrificantes, mão-de-obra, ipva, seguro, pneus...

    Há poucos meses, digenciando, uma mulher bateu no meu carro: PREJUIZO DE R$15.000,00.

    A nossa indenização está congelada desde 2004 quando só a gasolina custava menos de um real e o número de mandados girava em torno de 80 por mes.


    NÃO MISTURE PARTICULARIDADES DE OFICIAIS DE ESTÂNCIAS E ESFERAS DIFERENTES NUM MESMO TACHO.

    Oficiais tem peculiarides extremanente diferentes dependendo de seu "habitat"

    EXEMPLO: Os Oficiais do TJ ambém cumprem mandados do T. Eleitoral.

    Não despeje sua ignorância na mente de incautos.
    Não fale do que não conhece a fundo.


    AH! UMA VANTAGEM ESPECIAL: NÃO TENHO HORÁRIO!!!!

    Não tenho horário PRA DORMIR, PRA DESCANSAR, PRA CURTIR COM A FAMILIA, PRA ESTUDAR, PRA SAIR DA PORRA DESSA VIDA BANDIDA.

    Ainda vem um bando de FILHOS DE PUTA CHIQUE que querem meu salário MAS NÃO MEU TRABALHO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exagera mais! Essa dos 4 ou 5 mil mandados/ año foi horrível. Também trabalho no TJDFT e não rola nada desse drama. Não quer contribuir, não atrapalha inventando.

      Excluir
    2. Exagerou muito colega. Menos!

      Excluir
  46. bom texto colega. um pouco melodramático, mas gostei. Sou AJEM Federal e comigo a coisa não tá tão feia como vc. Mas sempre ouvi dizer que o trabalho dos oficiais de justiça estaduais é pior do que os federais

    ResponderExcluir
  47. Melodramático é pouco!!! Por que esse Oficial do TJDFT não faz concurso para AJAJ?!?! Ou melhor: por que não se oferece para trabalhar interno???? Desvio de função não é incomum no Judiciário... Acho que esse discurso é pura demagogia, pois nunca vi um Oficial querer trabalhar interno. Muito pelo contrário...

    ResponderExcluir
  48. Concordo com o comentário acima! Aliás, se a vida de Oficial fosse assim tão estressante a atarefada, o "reclamante" não teria tempo para postar comentários tão longos e EXAGERADOS (xixi na calça?!). Fala sério...

    ResponderExcluir
  49. Pessoal, a melhor coisa a fazer é cada um se preocupar com seu trabalho, com sua vida.. isso de ficar criticando ou invejando a vida alheia é coisa de novela da rede globo..cada macaco no seu galho.. o importante, no final de contas, é ser um bom ser humano, fazer caridade, ser feliz.. muita paz a todos

    ResponderExcluir
  50. Sou OJ da Justiça do Trabalho e discordo veementemente da ressalva feita pelo colega ao cargo que ocupo. Ao contrário, conheço alguns colegas que, na condição de OJ da Justiça Federal Comum, fizeram concurso para a Justiça especializada (TRT) e estão bem mais satisfeitos com as condições de trabalho.
    É um excelente cargo e, num pais em que as pessoas não estão acostumadas a ter dignidade no trabalho, não é de estranhar que alguns critiquem a atividade desses servidores justamente por não estarem acostumados ao que deveria ser um direito de todo trabalhador: vida após o trabalho e necessária organização pessoal para o cumprimento das próprias métas.

    ResponderExcluir
  51. Pessoal sou Oficial de Justiça e nao dou mole trabalho e ganho muito bem

    ResponderExcluir
  52. Uma dúvida. Eh obrigatório ser bacharelado em direito para prestar concurso para oficial de justiça estadual????? Ou será que essa exigência só fica na esfera federal???
    Por favor, alguém que tenha conhecimento notório sobre isso, tire minhas dúvidas. Obrigado!

    ResponderExcluir
  53. Gente, sou OJAF há 13 anos e exerço a minha função com muito zelo e dignidade. Estou chocada com tantos absurdos contidos na publicação deste blog! Bem se vê que o autor, que se esconde atrás do anonimato para poder falar os absurdos que quiser sem ser responsabilizado, é um grande palhaço.
    Nosso salário vai ter 57% de aumento??? Oba!!! Quando? No dia de São nunca??? Ah, você só pode ser um pândego!!!
    Indenização de transporte para cobrir os desgastes do veículo??? Ora, faça-me o favor! E o combustível??? É pago como??? Ah, com certeza o bonito esqueceu de dizer que os OJAFs são dotados de tamanho charme e simpatia que, ao chegarem aos postos de combustíveis, os frentistas enchem o tanque para eles de graça.
    Férias de mais de 60 dias ao ano? Nem se você for desonesto. Aliás, bem se vê que desonestidade é o forte do subscritor do artigo! Não prestar contas a ninguém? O idiota desconhece que agora cada Fórum(pelo menos do TRF3) possui uma Central de Mandados e que os Oficiais respondem SIM a uma chefia imediata, não podendo, de forma alguma, agir como se estivessem na casa da mãe Joana. Os mandados devem ser cumpridos num prazo determinado e, em caso de urgência, são redistribuídos aos demais Oficiais lotados naquela subseção, o que significa que, você também vai ter de cumprir os mandados dos colegas que estiverem em férias.
    Ah, e esta de cumprir os mandados em quatro dias úteis? Risos (irônicos)! Bem se vê que prazos processuais são totalmente desconhecidos deste senhor... com certeza ele deve achar que Oficial de Justiça é carteiro (sem desmerecer a nobre função destes!). Que vai lá, “entrega o mandado”, e volta felizinho da vida, baixando o mandado de volta. Não precisa certificar nem nada. Pelo amor de Deus! Quanta ignorância! Primeiro porque há determinados tipos de mandados, a maioria deles, que não se exaurem num único ato, e necessitam que o Oficial aguarde o prazo para cumprimento de novos atos no mesmo mandado (p. exemplo: a citação, penhora, intimação, registro da penhora, avaliação e ciência do valor da avaliação são diversos atos que não são cumpridos numa só diligência). Então bem se vê que esse cara é um daqueles tontos que ouvem falar qualquer porcaria e saem por aí repetindo, sem qualquer critério nem compromisso com a verdade.
    Recesso de 20/12 a 06, 07 ou até 08/01? Verdade! Mas durante esse período existe uma escala de plantão e o Oficial deve estar presente nas datas em que foi escalado. Então a sua subseçãozinha serena e tranqüila que só distribui 8 mandados por semana deve contar somente com 4 OJAFS espertalhões como você. Então só aí você já não tem 18 dias: tire 4 ou 5 dias, dependendo da escala de plantão e esteja na cidade, pois caso você não compareça ao Fórum logo após ser requisitado, responderá administrativamente.
    E essa história de que o Oficial da Justiça do Trabalho trabalha mais ou menos que o Oficial Federal? Pura cascata! O sistema de trabalho da Justiça Federal é totalmente diferente da Justiça do Trabalho! Quanta idiotice um sujeito falar, com base em “ouvir dizer”, que Oficial daqui trabalha menos que o dali! Pelo amor de Deus!
    Serviço Público, para mim, é coisa séria. Mas infelizmente existem pessoas como o Senhor. Pessoas que, não importando onde estejam, estarão sempre maquinando um modo de tirar uma casquinha, de passar a perna em alguém para obter alguma vantagem ilícita.
    Olha, meu amigo, é bom mesmo você continuar sendo escritorzinho de artigos sensacionalistas num blog de quinta ao invés de prestar concurso de OJAF, pois quem pensa em ingressar no serviço público com uma cabecinha dessas, não seria capaz de nada além de envergonhar o Oficialato e manchar a reputação de muitos OJAFs que, como eu, exercem a função sem “esquemas” ou “maracutaias”, vendo nela uma forma digna e honesta de sustentar a família.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem razão em quase tudo o que disse, mas não vamos exagerar. Sou OJAF como você, do TRF 3 e essa chefia imediata, a não ser que vc esteja falando do Juiz Corregedor é uma Supervisora que de chefe dos Oficiais não tem nada.
      Ademais, consigo cumprir os mandados em 2 ou 3 dias por semana, dependendo se tenho ou não plantão. Quanto aos mandados que demandam desdobramentos, deixo para fazer na semana seguinte, pois o mínimo que a lei dá como prazo para pagamento é de 3 dias e as distribuições são uma vez por semana. E se você leu o Provimento COGE referente aos Oficiais, viu que temos obrigação de comparecer uma vez por semana apenas, desde que não sejamos requisitados pelo Juiz Corregedor, o que é raro aqui onde trabalho. Acho que mesmo trabalhando 2 ou 3 dias o trabalho é desgastante do ponto de vista emocional, visto que tratamos com patrimônio alheio e sua constrição e isso causa transtornos às pessoas mais calmas. Tem a questão de estar na rua à noite, em um país que registra altos índices de violência e ainda não podemos ter arma para nos defender. Se eu tivesse que trabalhar na rua todos os dias em uma jornada de 8 horas e ainda fazer um plantão, preferia estar na Secretaria sem função exercendo cargo de Analista sem colocar em risco meu patrimônio, minha integridade e minha vida. Sabe quanto isso vale para o Judiciário: uma GAE de 2400 reais brutos e pouco mais de 1400 líquidos! Isso é menos do que ganha um PM que só anda em dupla e armado. Então, acho que mereço trabalhar 3 dias por semana se dou conta do trabalho nos prazos estabelecidos.

      Excluir
  54. O cara está enganado quanto ao Oficial da Justiça do Trabalho. Tenho um amigo(não é conhecido não) que mora no interior, trabalha na Capital e vai ao Fórum a cada 14 dias receber mandados e os cumpre em dois ou três dias. Ou seja: trabalha três dias a folga 11. Mas não acho que esteja certo ou errado, acho que ele cumpre suas obrigações e os prazos que são dados. Se existe concurso para contratar oficial é pq são necessários. Uma cidade não pode ter menos de 4 oficiais pq senão um oficial estaria de plantão todos os dias e não poderia cumprir os mandados pq já estaria trabalhando a jornada toda nos plantões.

    ResponderExcluir
  55. É assim: oficial que cumpre com o dever, não tem carga de trabalho excessiva, até pq se houver muitos mandados não haverá obrigação de cumpri-los em prazo exíguo e todos sabem disso.
    Agora, tem oficiais que gostariam de ser procuradores da fazenda, investigadores de polícia e se metem a fazer o que não deveriam. Aí pode receber 8 mandados em uma semana que 30 dias será pouco para acabar. Ou seja: tem colega que exorbita a própria função e depois quer reclamar de excesso de trabalho!

    ResponderExcluir
  56. Pessoal, sou AJAJ no TRT4. Fiz concurso para OJAF do mesmo Tribunal e estou para ser nomeado. Para ser franco, estou na dúvida se assumo ou não o cargo, tendo em vista que, como já estou mais adiantado na carreira de AJAJ, o dinheiro não seria o diferencial. Quando fiz o concurso, fiz pensando principalmente em ter mais tempo para poder estudar para outros concursos. Porém, ouvi relatos de alguns OJAFs dizendo que trabalham mais horas que o pessoal da Secretaria (interno). Gostaria de saber do pessoal que já exerce essa nobre função, quantas horas, em média, trabalham por dia e se conseguem estudar numa boa (fazer um curso preparatório). Desde já, agradeço profundamente aos que responderem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  57. quero ser um oficial de justiça como faço

    ResponderExcluir
  58. Nuss, o camarada ai pra cima citou vários riscos da profissão do oficial de justiça. Amigo, sou agente de escolta penitenciaria, já perdi as contas do quanto fui ameaçado de morte e de quantas tentativas de resgate ocorreram, isso tudo para ganhar 1.900 reais, e o porte de arma dos agentes foram suspensos pela nossa queria presidente e assim mantido em meu Estado. Por esse salário de OJ eu topo até subir as vielas da rocinha, do alemão, qq coisa.

    ResponderExcluir
  59. http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2013/07/oficial-de-justica-e-baleada-durante-sequestro-relampago-no-rio.html
    http://oglobo.globo.com/rio/oficiais-de-justica-sao-vitimas-de-sequestro-relampago-na-barra-9095031
    Os títulos dos links falam por si. Dois oficiais de justiça baleados pouco após cumprirem uma mandado em um hospital. O cargo com que sonhei durante anos é, hoje, um pesadelo. Passei, mas não vou tomar posse.
    Acreditem: para quem tem a CAPACIDADE de passar neste concurso, há muitas outras oportunidades de emprego (público ou privado) que pagam R$10.000,00 ou mais (não importa o que digam, o salário inicial bruto é este).
    Invejo quem tem disposição para tomar posse neste cargo.
    Aos críticos, podem simplesmente invejar aqueles que tem a capacidade.Vão estudar/trabalhar!
    Abs

    ResponderExcluir
  60. Sou OFJA da Justiça do Trabalho há 8 anos. Qual é o perfil?
    1) "Jogo de cintura" dentro e fora da Vara do Trabalho;
    2) Estrutura emocional dentro e fora da VT;
    3) Paciência, não trabalhar com pressa e certificar tudo que entender diferente do usual (prevenção futura de explicações quanto a diligência realizada ou não);
    4) Na dúvida, não pratique o ato, devolva o mandado e certifique. Se tiver que voltar lá, o faça com o esclarecimento anterior sanado.
    5) Dê atenção a tudo e a todos;
    6) Tenha uma atitude proativa e de segurança pessoal diversa das pessoas "comuns". Como? Faça um curso, tenha aulas ou aprenda empiricamente, na prática.
    TODO O CUIDADO É POUCO, MAS VALE A PENA!
    BOA SORTE A TODOS!
    Luis Cesar

    ResponderExcluir
  61. Sou Analista Judiciário estadual e estou pra ser pra ser nomeado oficial de justiça estadual. Estou em dúvida...não sei o que fazer.
    Se alguém já passou por essa dúvida...me dá umas dicas. Obrigado.

    ResponderExcluir
  62. Amigo, entendo bem o teu dilema. Sou Analista Judiciário em um TRT e passei para OJAF. Agora me decidi a assumir o cargo, mas passei um tempo na dúvida, pois é um trabalho completamente diferente, que requer capacidades que não se aprendem na faculdade, além de um boa estabilidade emocional. O melhor a fazer é conversar com os colegas que já exercem o cargo de OJAF. Foi o que eu fiz. Muitos me relataram histórias que mostram que o cargo não é o mar de rosas que muita gente pensa. Contudo, posso te dizer que todos os OJAFs com os quais conversei me falaram que não trocariam o serviço externo para trabalhar em secretaria. Boa sorte na sua escolha.

    ResponderExcluir
  63. Valeu...vou fazer melhor...em breve tiro férias e vou acompanhar um amigo meu que é Oficial de Justiça uns 5 dias em que ele for cumprir mandados pra ver se vou gostar...obrigado pela dica.

    ResponderExcluir
  64. O autor conhece bem a remuneração, mas deturpa a realidade da profissão intencionalmente. Como gosta de defender os juízes deve ser algum comissionado, recebe uma função e tem que bajular para não perder. Os magistrados não moram na comarca como deveriam, não comparecem no cartório todos os dias, participam mais de aulas e eventos do que trabalham e ainda têm 60 dias de férias com 2/3 de adicional.
    A quantidade de mandado não é verdadeira.
    O destinatário da ordem não fica lá esperando e te recebe bem, com água e cafezinho.
    Esqueceu de dizer ou ocultou que depois de cumprir o mandado o Oficial tem que certificar, fazer avaliações e laudos, registrar as penhoras, lançar tudo no sistema.
    Fora isso tem o trabalho que ninguém vê: levantar os riscos do local, preparar as diligências, fazer roteiro e controlar prazo. Só o Oficial de Justiça tem prazo a cumprir na Justiça Federal, todos os outros prazos não são cobrados e não há sindicância pela violação.
    Os dez dias antes das férias (não há isso no Rio) são para que se possa concluir o maior número de mandados e eles não fiquem parados durante as férias. São para trabalhar.
    A remuneração: Indenização de transporte é para repor gasto com deslocamento. O carro se acaba: o meu é a prova disso. Já tive que fazer motor em um carro com 3 anos de uso.
    A GAE: é para recompensar a atividade externa e de risco. Chuva, sol, público hostil, enfrentamento diário que leva a doenças físicas e emocionais. A vida é o bem jurídico mais valioso.
    Auxílio alimentação para comer na rua e em qualquer lugar não é nenhuma vantagem sobre os outros cargos.
    Esclarecendo para não parecer que é fácil. A quantidade de servidores doentes é maior que nos demais cargos.

    ResponderExcluir
  65. Li alguns comentários acima descritos, no entanto, constatei verdades e inverdades! Convenhamos qualquer profissão tem suas peculiaridades, e cada um ser é diferente de outro, contudo, devo esclarecer que já trabalhei na roça, pois, meu pai tinha sítio, e a vida era árdua, com 8 filhos o chicote corria à solta, a coisa era bem séria, depois trabalhei como servente de pedreiro por uns 6 meses, mais tarde, tive a oportunidade de trabalhar um ano em um comércio de recarga de extintor de incêndio e, dos 17 aos 20 como comin (ajudante de garçom). Depois, achei que isso não era vida para mim e então prestei concurso para a Força Aérea e somente na terceira tentativa é que consegui lograr êxito. Fiquei na F.A.B por 17 anos, contando com os dois anos de aluno na EEAR em Guarantiguetá - SP. Depois de ter estudado muito e ter sido reprovado na 2 º fase do Concurso de Procurador da República porque a fase oral em Brasília na época não reprovava, me desesperei, contudo, fiz o concurso de AJEM da Justiça Federal e fui aprovado e estou no cargo há cerca de 13 anos, final de carreira mais o tempo de serviço público federal incorporado e outros, não posso reclamar e não foi fácil a caminhada, mas a despeito de ter tido uma vida difícil, hoje me considero um privilegiado pelos anos duros anteriores. Então, no meu caso particular devo agradecer muito a Deus. Só lamento de não ter tido mais tempo para estudar, pois, o único concurso que ainda me mantém vivo é o de Procurador da República, que para ciência de vocês é o topo da área jurídica, a começar pelo próprio cargo, pois não tem Procurador da República Substituto, nele quando se toma posse já entra como titular.

    ResponderExcluir
  66. Pessoal, o texto apresente verdades e exageros. Mas posso afirmar o seguinte: depois de passar anos como Analista Interno, ter tomado posse como Oficial de Justiça Federal foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida. A flexibilidade de horário é algo que não tem preço. Recomendo!

    ResponderExcluir
  67. Pessoal, saindo um pouco da discussão, porque neste momento se torna vaga e desnecessária diante da necessidade de expormos a atual situação porque passamos na atual conjuntura, haja vista a cobrança da sociedade em relação ao julgamento do MENSALAO, ficamos à mercê do S.T.F. Digo isso porque nas diligências por nós realizadas, as pessoas com as quais nos defrontamos, nos olham de tal maneira que nos sentimos culpados por uma situação da qual não colaboramos para que culminasse nessa vergonha nacional, eu por exemplo não tive nenhuma culpa, mas, vai explicar o inexplicável e as pessoas leigamente nos condenam, ou seja, a decisão nos atingiu de maneira oblíqua. O negocio é esperar um pouco as coisas esfriarem, porque a memória dos brasileiros é curta e a sanha de achar um culpado é grande.

    ResponderExcluir
  68. Oficial de Justiça-AL um cargo magnífico, salário de aproximadamente R$ 7.700 bruto, vale a pena estudar para conseguir. Abraços.

    ResponderExcluir
  69. Tá difícil, pede pra sair.

    ResponderExcluir
  70. Analista Judiciário que nada, eu vou ser é Auditor Fiscal....

    ResponderExcluir
  71. Auditor Fiscal do trabalho um cargo magnífico, salário de aproximadamente 13 mil hehehe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pouco mais de R$ 15 mil em JAN/2015!! O problema são as lotações e remoções...

      Excluir
  72. Tem mais oficiais de comarcas grandes e volumosas como são paulo e capitais para relatarem suas experiências? Eu queria saber como é o trabalho nas grandes cidades. Valeu!

    ResponderExcluir
  73. Sou AJAJ do TRE-MS, mas estou na expectativa de ser aprovado para AJEM do TRF-3 - 2014.
    Por tudo o que li aki, trocarei de cargo, caso dê tudo certo.

    ResponderExcluir
  74. Tem alguém aí que é oficial de justiça avaliador federal do TRT e gostaria de compartilhar o salário bruto de um oficial de justiça. Eu fui aprovado no concurso do TRT-ES e gostaria de saber o salário para tomar a minha decisão de vou ou não vou. Obrigado pela gentileza.

    ResponderExcluir
  75. sou OJ no TRT-SP (classe A-3) e ganho R$ 12.500,00 bruto.
    eu, no seu lugar, não deixaria de assumir o cargo.
    boa sorte

    ResponderExcluir
  76. algum oficial de justiça estadual do Ceara???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que pode me dizer sobre o cargo e exercício da função aí no Ceara??

      Excluir
  77. Fui aprovada para AJAJ TRT 15 e sou a próxima a ser nomeada para AJEM TRF 4. Estou muito na dúvida sobre qual escolher. Alguém que tenha conhecimento dos dois cargos pode opinar? To completamente perdida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Minha cara, pelo que entendi, sou do mesmo concurso que você. Só posso te dizer uma coisa: Vem para OJAF você também!! rsrs
      Abraços!

      Excluir
    3. Ah, essa nomeação que não chega!! Obrigada pela dica ;)

      Excluir
    4. Colega, não sabe de alguma aposentadoria que esteja prestes a ocorrer?? Hj saiu um comunicado sobre o novo concurso do TRF4, provavelmente em julho. Nem tenho mais unhas para roer! Nadar e morrer na praia é triste, viu!

      Excluir
  78. Já fui AJAJ e agora sou AJEM, ambos os cargos no TRT/RJ. Particularmente, gostava mais do trabalho interno. No entanto, como um colega em situação igual a nossa relatou, a flexibilidade de horário não tem preço.

    ResponderExcluir
  79. Ser OJ em SP é péssimo... O Estado mais rico, deve ser o que pior paga, junto com MG somos os únicos sem nível superior... Trabalha? Trabalha muito, fora o trânsito... Centrais de mandados.... Ótima ideia

    ResponderExcluir
  80. Gente, tirando os comentários maldosos acima, a carreira de oficial de justiça federal não vai melhorar não.

    Cadê o estatuto do oficial de justiça federal.

    E o vencimento, vai continuar assim mesmo. Cadê o aumento gente?

    ResponderExcluir
  81. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  82. Alguém sabe quando terá um novo concurso para Analista Judiciário Executante de mandados?

    ResponderExcluir
  83. Sou OJA na Justiça do trabalho. Não se enganem. Há uma grande vantagem na profissão que é a questão da liberdade de horários, o trabalho por tarefas, ausência da chefia imediata na execução do serviço, etc. Como já disseram anteriormente, tem que ter perfil. Lidamos diretamente com os executados e geralmente levamos notícias ruins. Tem que ter um grande "jogo de cintura". Eu particularmente gosto muito do que faço e não trocaria por outro trabalho. Obs.: Ele enganou quanto ao prazo para cumprimento dos mandados. Na Justiça do trabalho também é de 10 dias. Isto é lei e não há diferenciação.

    ResponderExcluir

FAÇA SEU COMENTÁRIO!